O último e mais forte abalo que sacudiu o Japão foi no sábado. Um choque de 7.0 na escala de Richter provocou estragos em mais de três mil edifícios e deslizamentos de terras que agora são mostrados em dramáticas imagens de drone. As imagens foram disponibilizadas pela Autoridade japonesa de Informação Geoespacial.

 

 

Os vídeos mostram enormes fissuras na terra e crateras nas estradas, assim como ponts que colapsaram. Uma das pontes que aparecem nas imagens situa-se perto da aldeia de Minami Aso.

 

 

Os abalos de 7.0 de sábado e de 6.2 de quinta-feira de 6.2 mataram 43 pessoas e feriram mais de mil. Nove pessoas continuam desaparecidas e mais de 3 mil edifícios sofreram enormes danos, de acordo com a autarquia de Kumamoto, uma das localidades mais afetadas.

As consequências dos terramotos estão a abalar drasticamente a economia japonesa também. Com pontes colapsadas, estradas intransitáveis e linhas férreas danificadas estão a impedir a circulação de matérias-primas e o escoamento das produções. Várias fábricas já foram forçadas a fechar.

Exemplo disso, enumera a CNN, é a localidade Kyushu, conhecida como a ilha dos carros, onde se situam empresas como a Nissan, a Toyota, a Mitshubishi ou a Daihatsu. De todas as companhias situadas na região só a Honda não se mostra afetada pelo tremor de terra.