O transporte vai ser realizado com recurso a 100  autocarros que ainda esta sexta-feira à noite vão ser colocados à disposição dos refugiados para os levar até à localidade fronteiriça de Hegyeshalom.

Esta sexta-feira dezenas de refugiados, cansados de esperar por comboios, decidiram começar a ir, pelo próprio pé, em direção à Áustria. Uma caminhada feita debaixo de muito calor.

A crise migratória na Europa está a tomar contornos verdadeiramente dramáticos e na Hungria milhares esperam e desesperam por um comboio em direção ao ocidente do continente.

A equipa de reportagem da TVI testemunhou que famílias inteiras de refugiados vivem agora na estação de comboios.

Entretanto, o chanceler federal austríaco, Werner Faymann, afirmou que os refugiados que estão a caminho da fronteira com a Áustria não serão abandonados. A garantia foi deixada por um porta-voz à agência APA.

“Não vamos deixar abandonados essas pessoas nesta situação de necessidade.”

O responsável acrescentou que Viena vai coordenar as suas posições com a Alemanha e que o chefe do governo austríaco vai ter no sábado uma conversa telefónica com o seu homólogo húngaro, Viktor Orbán.