Aos 32 anos Lea T tornou-se a primeira modelo transgénero a dar a cara por uma campanha a nível mundial. A brasileira, conhecida pelo apoio a campanhas anti-bullying, é a nova musa da Redken, e irá representar a marca de produtos capilares, detida pela multinacional francesa L’Oréal, um pouco por todo o globo, a partir de janeiro de 2015.  
«Adoro trabalhar com a Redken porque apreciam todos os tipos de beleza», e «acreditam na individualidade», «penso que isso é muito importante», afirmou a supermodelo.
  
Lea T, nascida Alejandro Medeiros Cerezo em Belo Horizonte, foi descoberta pelo designer Riccardo Tisci, diretor criativo da Givenchy, que a incentivou a apostar na sua feminilidade.
 
«Fomos comprar sapatos drag queen e descolorámos as minhas sobrancelhas. Foi uma revelação», contou à Vogue francesa.

Em 2010 passou de assistente desconhecida para a passerela, desfilando na colecção outono-inverno da Givenchy, a partir daí a escalada foi brutal.

Lea já fez capa da prestigiada revista Vogue, e até da LOVE Magazine, onde aparece a beijar Kate Moss.


A cirurgia de mudança de sexo foi feita em 2012, e agora, em outubro, surge novamente no programa de Oprah Winfrey onde fala da sua experiência.
 
«Fazer uma operação de mudança de sexo muda uma parte do corpo. Uma parte realmente íntima do corpo, mas isso é tudo», afirmou.

Veja o seu testemunho no vídeo abaixo.