Faltavam apenas quatro dias para o grande momento. Wang Qinghuo estava de casamento marcado para o próximo domingo. Mas uma reviravolta do destino levou-o a embarcar no fatídico voo GE235.
 
O jovem chinês trabalhava como guia turístico numa das duas agências que levava um grupo de turistas no voo das TransAsia. Os turistas que viajavam de Taipei para as ilhas Kinmen, uma antiga base militar que se tornou um destino turístico muito apreciado pelos chineses.


 
Wang Qinghuo era guia para o local. Na manhã desta quarta-feira embarcou com o seu grupo de turistas, mas não sem antes deixar uma mensagem aos seus amigos mais próximos.
 

«Hoje é o início da primavera. Não vamos discutir, não vamos ficar zangados, vamos apenas apreciar esse dia pacificamente e com felicidade», escreveu, segundo informa o The Telegraph.

 
O guia turístico não teve morte imediata e segundo os amigos no local, terá sido levado para o Hospital em estado grave. Mais tarde, as mesmas fontes esclareceram que obteram a confirmação da morte do jovem guia turístico.
 
Um dos amigos revelou o que lhe disse antes da partida:
 

«Eu disse-lhe que ele devia ficar em casa a preparar-se para o casamento. Ele responde que era trabalho e que a agência não tinha mais ninguém que pudesse ir».