Dois ajudantes do antigo chefe de estado da Armada da Guiné-Bissau, Bubo Na Tchuto, acusados de tráfico de droga nos Estados Unidos, admitiram ser culpados num tribunal em Nova Iorque.

Tchamy Yala e Papis Djeme entregaram as suas confissões esta segunda e terça-feira, admitindo ao juiz que conspiraram para traficar cocaína da Africa Ocidental para a Guiné Bissau. A droga seria depois distribuída na Europa e nos Estados Unidos.

Em abril do ano passado, Na Tchuto, Yala, Djeme e outros dois guineenses - Manuel Mamadi Mane e Saliu Sisse - foram detidos em águas internacionais perto de Cabo Verde por uma equipa da agência de combate ao tráfico de droga norte-americana. Os cinco homens arriscam pena de prisão perpétua.