O presidente do Conselho Europeu classificou esta terça-feira os traficantes de pessoas como “assassinos” e apelou para que se detenha esse negócio, que fez milhares de mortos desde o início do ano.

“Devemos concentrar-nos no combate ao tráfico de seres humanos e aos traficantes”, bem como nas operações para “salvar a vida das pessoas”


Donald Tusk falava em Jerusalém, citado pela Lusa, antes de um encontro com o Presidente israelita, Reuven Rivlin.

Segundo os últimos números da ONU, mais de 380.000 migrantes e refugiados chegaram à Europa pelo Mediterrâneo desde janeiro e perto de 3.000 morreram ou estão desaparecidos.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados também não usou hoje meias palavras para abordar o tema, numa altura em que a Europa está longe de estar em sintonia completa. A nova lei anti-imigrantes aprovada pela Hungria, por exemplo, pode gerar "o caos", segundo o ACNUR.

O responsável máximo da ONU, Ban Ki-Moon, também renovou o apelo à Europa para uma resposta eficaz para esta crise.