Um deles era um cidadão brasileiro, Marco Archer, executado no domingo

Amnistia Internacional tinha pedido ao Governo da Indonésia o adiamento