Um homem de 47 anos foi condenado a prisão perpétua, por torturar e assassinar a sua mulher, por ela não saber cozinhar cuscuz, escreve o jornal «New York Daily News».

Esfaqueou a mulher 15 vezes e deu-lhe um tiro na cara. A vítima ficou irreconhecível e foi identificada através de registo dentário.

O crime aconteceu em abril de 2010, na Suíça, e foi agora a julgamento. Na altura do crime, o casal já estava separado.

Além de torturar e matar a ex-mulher, o ex-marido ainda a terá violado, escreve o mesmo jornal.

Na altura do homicídio, o homem justificou às autoridades o crime com o facto de a ex-mulher «negligenciar as filhas» de ambos, com 9 e 12 anos à época, e «não saber cozinhar cuscuz».

O casal de origem tunisina, emigrou para a Suíça em 1999, mas separou-se alguns anos depois.

O juiz responsável pelo caso considerou que o homem foi «bárbaro, cruel e determinado». De acordo com o jornal «The Local», depois de matar a ex-mulher, lavou-se, mudou de roupa e foi jantar com as filhas.