O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, considerou hoje que há «uma possibilidade razoável» de uma nova busca submarina permitir encontrar o avião da Malaysia Airlines, que operava o voo MH370, desaparecido desde 08 de março, com 239 pessoas a bordo.

Tony Abott afirmou que os investigadores não desistiriam facilmente de encontrar o aparelho que desapareceu inexplicavelmente dos radares quando estabelecia a rota Kuala Lumpur-Pequim.

Estima-se que o avião tenha caído no sul do oceano Índico, ainda longe da costa da Austrália Ocidental, mas buscas massivas efetuadas por ar e mar não detetaram destroços, enquanto uma investigação submarina se revelou inconclusiva.

Piratas informáticos roubaram informação

Segundo avança o jornal «The Star», os computadores de altos funcionários das agências envolvidas na investigação ao desaparecimento do avião foram alvo de piratas informáticos. Os hackers conseguiram aceder e roubar informação privilegiada relacionada com o mistério que envolve o aparelho da Malaysia Airlines, através de um malware que retirou a informação e a enviou para um IP chinês.

Um email, com um documento anexado, terá sido enviado para os oficiais responsáveis pelo caso dia 9 de março, um dia depois do desaparecimento do Boeing 777. Cerca de 30 computadores terão sido infetados.

Notícia atualizada