O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, expressou as suas condolências perante o «ato bárbaro» perpetrado na quarta-feira por dois homens armados contra o semanário satírico francês Charlie Hebdo, que culminou na morte de 12 pessoas.

«Os pensamentos de todos os australianos estão com as famílias daqueles que perderam as suas vidas com este ato bárbaro», declarou Abbott, em comunicado.

O chefe do Executivo da Austrália, país onde, no início de dezembro, um radical islâmico sequestrou vários civis num café de Sydney, um incidente que terminou com a morte de dois civis e do sequestrador, salientou que a liberdade de imprensa é «a pedra angular da sociedade».