A Austrália negou o objetivo de se juntar aos Estados Unidos e respetivos aliados árabes nos bombardeamentos aéreos contra posições do autodenominado Estado Islâmico (EI) na Síria, disse esta quinta-feora o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott.

Em declarações em Nova Iorque onde participa no plenário da 69.ª Assembleia-geral das Nações Unidas, Tony Abbott disse, porém, existirem fortes probabilidades de enviar soldados para combater no Iraque.

«As discussões em Nova Iorque, hoje e na sexta-feira, vão-nos fornecer informações antes da decisão que a Austrália tomará em breve a respeito de um possível compromisso das nossas forças em operações de combate dentro do território iraquiano», disse Abbott em declarações à agência local AAP.