A polícia de Munique lançou um apelo à população, pedindo que quaisquer vídeos, fotografias ou registos de áudio do ataque desta sexta-feira à noite sejam enviados às autoridades. Ao início da noite desta sexta-feira, um alemão de origem iraniana disparou indiscriminadamente num centro comercial da cidade e, mais tarde, fora das instalações. Matou nove pessoas e feriu 16 – três das quais em estado crítico -, antes de se suicidar, a cerca de um quilómetro do local.

 Foi um único atacante e está morto. Já não gera nenhum perigo e isso é agora o mais importante para nós", disse o chefe da polícia de Munique, Hubertus Andra.

A polícia informou que o corpo do jovem, que usou uma pistola, foi encontrado numa rua perto do centro comercia, a cerca de um quilómetro, com sinais claros de suicídio.

Os motivos do jovem de 18 anos ainda não são claros e as autoridades estão a investigar. Os registos feitos por populares durante e após o ataque podem ser preciosos.

Terceiro atentado na Europa em oito dias

O atentado desta sexta-feira é o terceiro contra civis, na Europa Ocidental, numa semana. Primeiro em Nice, um homem atirou um camião desgovernado para cima de uma multidão reunida para comemorar o Dia de França: mais de oito dezenas de mortos e centenas de feridos. Depois em Wuerzburg, um afegão armado com machados e facas tomou de assalto um comboio.

O atirador de Munique, filmado por uma testemunha do ataque, reclama, bem alto: “Sou alemão!”. As autoridades já o identificaram como um jovem de 18 anos, alemão de origem iraniana e já terão procedido a buscas na casa onde reside, no distrito de Maxvorstadt.

A cidade acordou atordoada, este sábado, tentando regressar à normalidade. O ministro do Interior Thomas de Maiziere ordenou que as bandeiras sejam colocadas a meia haste em toda a Alemanha. As velas e as flores multiplicam-se à porta do centro comercial onde ocorreu o ataque.

Os transportes públicos, que estiveram encerrados por causa da caça ao homem depois do ataque, já reabriram. A polícia continua com uma forte presença junto ao local onde ocorreu o tiroteio.

Angela Merkel adiou as férias que tinha marcadas para os Alpes e vai presidir a uma reunião do Conselho de Segurança Nacional, ainda este sábado.