O Pentágono pediu, na sexta-feira, aos cidadãos norte-americanos armados que não guardem os gabinetes de recrutamento do exército, garantindo que é capaz de assegurar a segurança, após tiroteios.

Impulsionados por tiroteios em instalações do exército nos Estados Unidos, cidadãos norte-americanos têm-se deslocado aos gabinetes de recrutamento para os guardar com revólveres e espingardas.

O porta-voz do Pentágono, Peter Cook, disse que o Departamento de Defesa aprecia “a inundação de apoio” que recebeu, mas alertou que os voluntários podem acabar por causar mais dano do que ajudar.

Recorde-se que o caso mais recente, de tiroteio, ocorreu no Tennessee. Muhammad Youssef Abdulazeez, de 24 anos, tinha um curso de engenharia e matou quatro soldados norte-americanos na cidade de Chattanooga.