O ex-militar responsável pelo tiroteio na Base Marítima de Washington já tinha sido tratado por «doenças mentais», avança a «Associated Press». Aaron Alexis, de 34 anos, foi tratado por paranoia, distúrbios do sono e por ouvir vozes.

Alexis matou 12 pessoas e feriu oito antes de ser atingido a tiro pela polícia, vindo a falecer no local.

Antes do tiroteio desta segunda-feira, o ex-militar trabalhava numa empresa de serviços que o ligava à Marinha, mundo de onde tinha sido expulso em 2011 por problemas disciplinares.

Até agora não é conhecido o motivo para o ataque. As vítimas tinham entre 46 e 73 anos.

Alexis Aaron f0i oficial de 3ª classe e reservista da Marinha a tempo inteiro entre 2007 e 2011, altura em que foi afastado. Recebeu duas medalhas pelo seu serviço na marinha: Medalha de Serviço de Defesa Nacional e Medalha de Serviço de Guerra Global contra o Terrorismo.

Praticava budismo num templo tailandês em Fort Worth no Texas e gostava de armas. Foi preso em 2004, depois de ter disparado contra um carro de um construtor em Seatle, e em 2008 por conduta desordeira na Georgia. Já em 2010 foi interrogado depois de ter disparado contra o chão e o teto de casa.