Milhares de pessoas participaram numa vigília, na sexta-feira, para lembrar as nove vítimas do tiroteio numa igreja em Charleston, Estados Unidos, segurando rosas brancas e vermelhas.

De mãos dadas, muitos com lágrimas nos olhos, os participantes cantaram o hino do protesto "We Shall Overcome", em resposta ao massacre na igreja episcopal metodista, numa altura em que o suspeito pelos disparos, Dylann Roof, foi acusado de homicídio e detido sem direito a fiança.

Roof, de 21 anos, terá dito que queria “começar uma guerra racial” quando disparou contra os nove negros, um ato que as autoridades consideraram um crime de ódio e que está a ser investigado como possível “terrorismo doméstico”.