Diz que se limitou a fazer o seu trabalho, mas é considerado um verdadeiro herói. Jamie Brock travou um adolescente armado na escola básica de Townville, estado norte-americano da Carolina do Sul. Momentos antes, o jovem tinha abatido a tiro o próprio pai e baleado dois estudantes e uma professora.

Tudo aconteceu na quarta-feira à tarde, na pacata localidade de Townville. O alerta chegou às autoridades: um adolescente armado estava nas imediações da escola básica.

O bombeiro Jamie Brock foi o primeiro a chegar ao local. O operacional, de 30 anos, conseguiu neutralizar o adolescente, impedindo-o de entrar no edifício.

As autoridades explicaram que, antes, o suspeito, de 14 anos, tinha baleado mortalmente o pai, na casa onde viviam. A mãe do atirador estava a trabalhar, na altura.

O jovem, cujo nome e idade não foram revelados, telefonou aos avós a chorar, que prontamente se dirigiram à habitação. Quando lá chegaram, o adolescente já tinha saído de casa e o corpo do pai jazia no chão.

O atirador seguiu em direção à escola, numa carrinha. E mal parou o veículo abriu fogo, ferindo um estudante na perna e outro no pé. Uma professora também foi atingida no ombro.

Um dos alunos feridos e a professora já tiveram alta do hospital. O outro estudante baleado, um rapaz de seis anos, permanece internado e em estado considerado crítico.

Ora, a ação rápida de Jamie Brock terá evitado uma tragédia maior. Colegas e populares consideram-no um herói. Porém, o bombeiro diz que só fez o que qualquer outro operacional teria feito no seu lugar e, por isso, recusa ser alvo de atenção ou tratamento especial.

 

Para já, desconhecem-se os motivos do tiroteio. A polícia confirmou que não se trata de terrorismo e que o incidente não está relacionado com questões raciais.

Sabe-se que a escola em causa tem cerca de 300 alunos, com turmas que vão do pré-escolar ao sexto ano de escolaridade. De acordo com os registos governamentais, 90% dos alunos são de raça branca.