Uma adolescente de 12 anos de Detroit, nos Estados Unidos, ficou com queimaduras de segundo e terceiro graus em quase metade do corpo, depois de ter aderido ao “desafio do fogo” da internet.

O incidente aconteceu na última sexta-feira. De acordo com o jornal The Washington Post, Timiyah Landers estava com duas amigas em casa. Depois de comerem panquecas, foram, supostamente, fazer uma sesta. A mãe, Brandi Owens, e o noivo fizeram o mesmo. Cerca de 15 minutos depois, ouviram um estrondo.

Segundos depois, Timiyah Landers surgiu no corredor com chamas dos joelhos aos cabelos.

[Ela] parecia uma bola de fogo. Estava a gritar ‘Ajudem-me’", relembra a mãe.

O noivo de Brandi, Marquell Sholar tentou apagar as chamas enquanto levava a adolescente para dentro da banheira. Enquanto o homem colocava a adolescente em água fria, a mãe agarrou as roupas em chamas da filha com as mãos e arrancou-as. Brandi nem se apercebeu que estava a queimar as mãos.

Foi como um reflexo... Nem senti o fogo, só queria salvar a minha filha”, conta a mãe.

Assim que conseguiram apagar as chamas, colocaram a adolescente dentro do carro e transportaram-na para o hospital mais próximo.

A jovem está agora internada nos cuidados intensivos, com respiração assistida, a ser alimentada por uma sonda e com o corpo quase todo coberto por ligaduras. De acordo com o The Washington Post, deverá ainda ser submetida a mais quatro cirurgias e ficar internada por vários meses. 

De acordo com a mãe, que questionou as amigas que estavam com Timiyah no momento do acidente, as meninas estavam a fazer o “desafio de fogo” da internet. A jovem tinha derramado álcool nos braços e uma das colegas ateou fogo.

Uma das adolescentes já tinha tentado o desafio em casa e sofreu apenas pequenas queimaduras. Foi ela quem sugeriu à vitima e à outra colega que experimentassem o desafio juntas.

Apesar de não haver certezas do porquê da dimensão das chamas no corpo de Timiyah, a mãe desconfia que pode ter sido por causa dos outros químicos que a filha tinha no corpo e na roupa.

Quando ela colocou o álcool e a amiga ateou fogo basicamente explodiu, porque ela já tinha coisas inflamáveis, perfumes e coisas assim", diz Brandi, acrescentando que as duas colegas estão traumatizados com o sucedido.

A mãe de Timiyah colocou fotografias no Facebook de materiais que estavam perto da filha e que também ficaram queimados devido à experiência, com um apelo para que os desafios da internet que metem a vida das pessoas em risco acabem de uma vez por todas.

 

O “desafio do fogo” na internet

O desafio que vitimou Timiyah não é novo. Há já cerca de quatro anos que começou a circular na internet, principalmente no Youtube e no Facebook. Timiyah não é a primeira pessoa a fazê-lo e a ficar gravemente ferida.

Em julho de 2014, um jovem de 15 anos do estado norte-americano Kentucky sofreu queimaduras de segundo grau. Um mês depois, um jovem californiano de 16 anos foi hospitalizado com queimaduras de segundo e terceiro grau.

Já este ano, em julho, num caso com notáveis semelhanças ao de Timiyah, um adolescente de 12 anos da Carolina do Sul queimou mais de 40% do corpo.

Contudo, não são apenas adolescentes quem está envolvido no desafio. Em agosto de 2014, uma mulher da Carolina do Norte foi detida por ter ajudado o filho de 16 anos a realizar a experiência. Segundo a polícia, Janie Lachelle Talley "estava presente e ciente do que o filho estava a fazer e facilitou a gravação”.