O Ministério Público alemão alemã abriu uma investigação contra o pai do adolescente que matou 15 pessoas na semana passada por ter deixado uma arma ao alcance, informa a agência AFP, citando as autoridades.

Os investigadores acreditam que Tim Kretschmer, de 17 anos, conseguiu a arma do crime, uma pistola Beretta, no quarto dos seus pais. Se for confirmado que o adolescente sofria de transtornos psicológicos, o pai poderá ser processado por homicídio involuntário.

Recorde-se que Tim Kretschmer matou nove alunos e três professores no seu antigo instituto de ensino secundário em Winnenden, perto de Estugarda. Antes de se suicidar acabou com a vida de outras três pessoas. O seu pai possuía, legalmente, 15 armas, todas guardadas, com excepção da pistola Beretta.

«Há indícios, segundo os quais os pais estavam a par dos problemas de saúde de seu filho», afirmou Renate Rosch, porta-voz da polícia de Waiblingen.

Sabe-se agora que quando foi chamado ao serviço militar, em Dezembro de 2008, Tim Kretschmer assinalou, num formulário, que sofria de «problemas de saúde devido a uma depressão. Os pais, através do advogado Achim Bachle, desmentiram a versão de que o seu filho tivesse recebido tratamento psiquiátrico.