"Se vier uma mulher Dalai Lama, então essa mulher deve ser muito atraente, de outro modo não serve muito", afirmou líder budista, em tom de brincadeira, em entrevista à BBC.

Quando o entrevistador lhe perguntou se estava a falar a sério, o monge respondeu apenas “é verdade”.

Mas, ao que tudo indica, o comentário não passou apenas de uma brincadeira, uma vez que Dalai Lama afirmou de seguida que grande parte  do seu sucesso se deveu à sua aparência física.

As declarações surgiram na mesma entrevista em que Dalai Lama disse que não haveria qualquer problema em ser substituído por uma mulher, desde que essa seja a decisão tomada pelo “povo tibetano”.

O líder deixou ainda uma mensagem de igualdade entre sexos, acrescentando que “as mulheres, biologicamente, têm mais potencial para mostrar afeto e compaixão”.

“Por esse motivo, no mundo atual, com tantos problemas, acredito que as mulheres deveriam exercer um papel mais importante"

No início de setembro, o governo chinês publicou um documento sobre o Tibete no qual defende seu direito no que se refere à escolha do próximo Dalai Lama. O líder religioso, que já tem 80 anos, afirmou durante esta visita que a instituição budista tibetana só deve continuar se o povo a considerar relevante.