Arlene Foster, líder dos Unionistas Democráticos, esteve reunida com Theresa May, em Downing Street, na residência oficial da primeira-ministra britânica. À saída, nenhuma assumiu que o apoio parlamentar, que os Conservadores necessitam para formar novo governo e negociar o Brexit, esteja garantido.

As discussões estão a correr bem com o governo e esperamos em breve levar este trabalho a uma proveitosa conclusão", registou Arlene Foster na sua conta na rede Twitter.

Também a primeira-ministra Theresa May acabou por deixar a sua residência oficial, sem dizer uma palavra.

A rede pública britânica de comunicação, BBC, com base em fontes não identificadas, noticia entretanto que a reunião conseguiu um acordo amplo para que os Unionistas, com dez deputados eleitos, venham a suportar o próximo governo de Theresa May.

Melhor "cedo do que tarde"

À televisão Sky News, a líder dos Unionistas revelou que "as negociações vão continuar à tarde" desta terça-feira.

Espero que possamos chegar a uma conclusão, mais cedo do que tarde", afirmou Arlene Foster.

A líder dos Unionistas irlandeses assegurou ainda estarem a abordar questões que envolvem a estabilidade no Reino Unido, a segurança e o território da Irlanda do Norte.

Não surpreenderei ninguém dizendo que estamos a abordar questões relativas à globalidade da nação, para dar estabilidade ao governo do Reino Unido em matérias como o Brexit e obviamente o contra-terrorismo e procurando o que é justo para a Irlanda do Norte em aspetos económicos", sublinhou Arlene Foster.

May diz que foi "produtivo"

Só em Paris, onde se encontrou com o presidente francês Emmanuel Macron, a primeira-ministra britânica abordou a reunião com a líder dos Unionistas, considerando o encontro "produtivo".

O que estamos a fazer no que respeita às conversas que estamos a ter, às produtivas conversas que estamos a ter com o Partido Unionista Democrático, é de assegurar que é possível, com o apoio deles, dar estabilidade ao governo do Reino Unido, que penso é necessário nesta altura", afirmou Theresa May.

A primeira-ministra britânica aproveitou a presença do presidente francês para frisar ter confirmado com Macron "que o calendário para as negociações do Brexit se mantém e começarão na próxima semana".