Notícia atualizada às 16:36

Foi detetado um segundo caso de ébola no Hospital Presbyterian do Texas, nos EUA.

Uma funcionária de saúde acusou positivo num teste de despistagem do Ébola, em Dallas , revelou o departamento de Saúde do Texas à Reuters.

«Os oficiais de saúde já falaram com a última paciente para rapidamente identificar quaisquer contatos ou potenciais exposições ao vírus e essas pessoas vão ser monitorizadas», afirmou o departamento.

O enfermeira, que prestou cuidados de saúde a Thomas Eric Duncan, deu entrada, na terça-feira, com febre e foi isolado de imediato, revelou Carrie Williams, porta-voz do hospital.

O teste foi feito no laboratório de saúde pública em Austin e os resultados foram conhecidos cerca da meia noite. Um segundo teste será conduzido pelo Centro de Prevenção e Controlo de Doenças em Atlanta.

Thomas Duncan, liberiano, morreu no hospital de Dallas, na quarta-feira, vítima de ébola. O vírus foi-lhe diagnosticado a 30 de setembro, dez dias depois de chegar da capital liberiana via Bruxelas.

Uma enfermeira do mesmo hospital já tinha sido contaminada por Duncan. Nina Pham, de 26 anos, foi infetada com o ébola, depois de ter tratado do liberiano.

Os mais recentes dados apontam para o registo de 8.917 casos, dos quais 4.447 se revelaram mortais, sendo a Libéria, Serra Leoa e a Guiné-Conacri os países mais afetados pelo pior surto de Ébola.