Um homem que tinha sido condenado à morte por alvejar mortalmente a tiro os dois filhos menores foi esta noite executado pelas autoridades do estado norte-americano do Texas, com o recurso a injeção letal.

John Battaglia, 62 anos, foi executado numa prisão do Texas, poucos minutos depois de ter visto ser rejeitado um último recurso pelo Supremo Tribunal de Justiça. Os advogados de Battaglia argumentavam que o seu cliente cometeu os crimes por sofrer de alucinações, mas a acusação pública conseguiu estabelecer em tribunal, com a ajuda de peritos, que o homem era mentalmente são.

Os crimes ocorreram em 2001 e horrorizaram a América, reabrindo mais uma vez o debate sobre a pena de morte. Battaglia matou a tiro os filhos de seis e nove anos, assegurando-se primeiro de que a mãe das crianças ouviria os disparos através do telefone.

Foi detido nessa mesma noite, numa loja de tatuagens, quando estava a gravar nos braços as imagens dos filhos que acabara de matar.

Os seus advogados esgotaram todos os recursos judiciais, mas o Supremo Tribunal manteve a condenação à morte.

A execução de John Battaglia foi a segunda, esta semana, no Texas, estado que mantém o recorde de maior número de execuções legais na América.