Dois homens, suspeitos de transportarem explosivos, foram abatidos pela polícia, este domingo, no exterior de um centro cultural palco de um concurso de caricaturas de Maomé no Texas (EUA), informaram os organizadores do evento.

Agentes de equipas de intervenção SWAT declararam à cadeia televisiva ABC que dois suspeitos abriram fogo contra o Culwell Centre Curtis, em Garland, perto de Dallas, o qual acolhia um concurso de caricaturas, apresentado como um evento pela “liberdade de expressão”.

De acordo com a imprensa internacional, os homens estacionaram o veículo frente ao centro cultural cerca das 19:00 (hora local) e dispararam contra um oficial que se encontrava fora do edifício. A polícia respondeu com um tiroteio no qual morreram os dois atacantes. 

O oficial ferido no tiroteio foi levado para o hospital, de onde já teve alta. A identidade dos suspeitos é ainda desconhecida. 

A polícia está a investigar o tiroteio e um "engenho incendiário" encontrado no carro usado pelos suspeitos.


Pamela Geller, ativista e cofundadora da entidade organizadora do evento, - a American Freedom Defense Initiative - escreveu na rede social Twitter que a polícia abateu dois suspeitos e que se aguardava a chegada da equipa especialista em explosivos.

Ataque anunciado no Twitter

Um tweet suspeito foi publicado 15 minutos antes do ataque com a hashtag #texasattanck. De acordo com o "The Guardian Australia", que publica uma fotografia da publicação da conta "Shariah is Light", a mesma, que já foi suspensa, reivindica o ataque  contra o Culwell Centre Curtis.

Na publicação, publicada às 9:35 (hora de Sydney - 18:35 no Texas), o utilizador faz referência ao "(bay’ah) Amirul Mu’mineen", termo árabe para "Comandante da Fé". A mensagem foi divulgada apenas 15 minutos antes da polícia de Garland receber as primeiras denúncias de tiroteio perto do centro de congressos.

O mesmo jornal noticia que o utilizador tinha publicado vários tweets de apoio ao extremismo Islâmico.