Os chefes de diplomacia da União Europeia decidiram, esta segunda-feira, recorrer da decisão do Tribunal Geral da União Europeia, que em dezembro passado ordenou a retirada do grupo palestiniano Hamas da lista comunitária de organizações terroristas.

A decisão já era esperada, uma vez que, por ocasião da decisão do tribunal, a 17 de dezembro de 2014, a União Europeia indicou desde logo que iria recorrer, pois a decisão do tribunal era legal e não política.

O Conselho indicou hoje que, face a este recurso, os efeitos da sentença do Tribunal Geral ficam suspensos até que o Tribunal de Justiça da UE se pronuncie definitivamente, pelo que o Hamas continua a figurar na lista de organizações terroristas.

Os Ministros dos Negócios Estrangeiros da UE estão reunidos em Bruxelas, numa reunião consagrada precisamente ao combate ao terrorismo, sobretudo depois dos terror vivido Paris, com o atentado no «Charlie Hebdo».