A polícia antiterrorista francesa deteve, esta terça-feira, oito pessoas suspeitas de fazerem parte de uma rede de recrutamento de jovens para a «jihad» (Guerra Santa) na Síria, anunciou o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve.
 
Os suspeitos, que podem ser mantidos durante um período até 96 horas sem acusações, foram presos nos arredores norte de Paris e na região de Lyon, disse o ministro, em conferência de imprensa.
 

«Os indivíduos detidos, todos colocados sob custódia, são suspeitos de envolvimento na organização de recrutamento e partidas para a Síria» de combatentes fundamentalistas islâmicos, explicou Cazeneuve. 

 
De acordo com a AFP, o ministro sublinhou que «esta operação» ocorreu uma semana após a detenção, no sul de França, de cinco homens também implicados em atividades de recrutamento jihadista para a Síria. 
 

«Cerca de um mês depois dos atentados que atingiram Paris, esta operação é uma nova manifestação da total determinação das forças de segurança, sob autoridades da justiça, na luta sem tréguas contra o terrorismo», garantiu Bernard Cazeneuve. 

 
 
Na sequência dos ataques terroristas registados em Paris, no início de janeiro, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, indicou que os serviços antiterroristas iam vigiar três mil suspeitos de relacionamento com a esfera jihadista. 
 
O Governo francês calcula que cerca de 1.300 cidadãos franceses tenham ligações com células de recrutamento para a Síria e Iraque, cerca de 400 dos quais já estão a lutar ao lado de militantes.