O Governo francês quer introduzir na Constituição a possibilidade de retirada da nacionalidade aos cidadãos condenados por terrorismo que tenham dupla nacionalidade e o prolongamento do estado de emergência até um prazo máximo de seis meses.

Um anteprojeto de revisão da lei fundamental francesa foi remetido esta semana ao Conselho de Estado, avançando com algumas propostas preconizadas pelo Presidente francês, François Hollande, após os atentados terroristas de 13 de novembro, em Paris, que fizeram 130 mortos e centenas de feridos.

A reforma constitucional pretende introduzir a possibilidade de instauração de um “regime civil de crise” com o objetivo de “combater o terrorismo de guerra”, segundo disse François Hollande, três dias após os ataques de Paris.