As autoridades espanholas detiveram dois homens e uma mulher com ligações a uma rede de recrutamento e envio de pessoas para se juntarem ao grupo extremista Estado Islâmico, informou o Ministério do Interior em comunicado.

Os dois homens, de 32 e 42 anos, naturais de Tanger (Marrocos), residiam na mesma casa em Barcelona, cidade onde foram detidos e a partir de onde promoviam a ideologia extremista do Estado Islâmico, através de diferentes plataformas virtuais e redes sociais, captando adeptos e enviando-os para zonas de conflito, segundo a nota oficial.

Já a mulher, de 24 anos, natural de Granollers (Barcelona), após um processo de radicalização, pretendia juntar-se ao movimento extremista, numa deslocação iminente, acrescenta o comunicado.
O Ministério do Interior deu esta madrugada conta da operação, que contou com o departamento de Informação da Guarda Civil espanhola, em colaboração com unidades da Catalunha e do Comando de Barcelona.

As autoridades tentam agora compreender na totalidade a estrutura desta rede, cujas atividades vão ao encontro das linhas de ação do Estado Islâmico, incluindo atrair mulheres para que sejam incorporadas em diferentes papéis dentro da organização extremista.

Segundo as autoridades espanholas, sessenta e oito pessoas foram detidas no país durante este ano por suspeita de ligação a redes terroristas.