A polícia belga pediu ajuda para identificar um dos presumíveis terroristas de Bruxelas. No Twitter, as autoridades partilharam a imagem do suspeito, pedindo a quem possa reconhecer o indivíduo que partilhe informações. A imagem é acompanhada da pergunta: "Quem reconhece este homem?".

O procurador federal belga, Frédéric Van Leeuw, confirmou que foi emitido um mandado de captura para o suspeito. O responsável confirmou que as autoridades estão convencidas de que os ataques foram perpetrados por dois bombistas suicidas, que morreram nas explosões, e que a polícia está agora a procurar "ativamente" um suspeito que está em fuga.

Na imagem partilhada, o suspeito usa um casaco branco e um chapéu. Trata-se de um recorte de uma imagem maior, que tinha sido divulgada anteriormente, e que mostra três homens que serão os presumíveis autores dos ataques que fizeram vários mortos e feridos. 

 

 

A imagem maior, captada pelas câmaras de vigilância do aeroporto de Bruxelas, mostra os três indivíduos com carrinhos de bagagem dentro do aeroporto, antes de se registarem as duas explosões.

Entretanto, o presidente da câmara de Zaventem, Francis Vermeiren, afirmou, citado pela AFP, que as bombas estavam precisamente nas malas que os suspeitos transportavam.

"Eles chegaram de táxi com malas e as bombas estavam nas malas. Puseram as malas nos carrinhos e as primeiras duas bombas explodiram. O terceiro também pôs uma bomba na mala, mas deve ter entrado em pânico e a bomba não explodiu."

A conta do Twitter da organização WikiLeaks faz notar que dois dos homens estavam com luvas nas mãos esquerdas, onde provavelmente traziam os detonadores. 

 

As autoridades belgas referem que as explosões foram causadas por bombistas suicidas. Jornal belga aponta para estes três homens

A imprensa russa avança que  dois irmãos da Bielorrússia,  Ivan e Alexey Dovbashi, bem como o compatriota Marat Yunusov poderão estar por detrás dos atentados desta manhã. O trio terá combatido na Síria nas fileiras do Estado Islâmico.

 

Polícia deteve pelo menos duas pessoas

A polícia belga está a efetuar rusgas em vários pontos do país, na sequência dos atentados que abalaram a capital belga esta terça-feira.

No bairro de Schaerbeek, uma rusga a um apartamento vazio levou à descoberta de um engenho explosivo, que continha pregos metálicos. Também foram encontrados produtos químicos e uma bandeira do Estado Islâmico. O edifício foi evacuado.

Outra operação policial foi realizada nas traseiras da estação de metro de Maalbeek, onde hoje explodiu uma bomba.

Na praça Marie-Louise, nas traseiras da estação de metro de Maalbeek, estarão uma vintena de polícias, depois de uma testemunha ter denunciado a presença de um automóvel vazio, com a chave na ignição e o motor a trabalhar, segundo a agência EFE, que cita a sua congénere belga.