O chefe de redação do Charlie Hebdo defendeu, numa entrevista difundida parcialmente no sábado, as caricaturas controversas do profeta Maomé publicadas pelo jornal satírico. Gérard Biard afirmou que os cartoons contribuem para defender «a liberdade de religião».

«Sempre que fazemos um desenho de Maomé, sempre que fazemos um desenho de profetas, sempre que fazemos um desenho de Deus, estamos a defender a liberdade religiosa», disse Gérard Biard, de acordo a tradução simultânea em inglês da entrevista à estação de televisão norte-americana NBC.


Esta é a primeira entrevista do chefe de redação do Charlie Hebdo a uma televisão norte-americana desde o ataque terrorista ao jornal, no dia 7 de janeiro e que causou 12 mortos e 11 feridos.

Conheça as novas caricaturas do «Charlie Hebdo»