Os advogados do principal suspeito dos atentados de Paris em novembro de 2015, Salah Abdeslam, anunciaram hoje que já não o vão defender.

“Decidimos os dois abandonar a sua defesa”, disse o advogado Frank Berton, numa entrevista à BFM TV.

“Não achamos que ele vai falar, vai usar o seu direito de permanecer em silêncio”, disse Berton numa entrevista conjunta com o colega Sven Mary, sublinhando que "desde o início" afirmaram que se o cliente "ficasse calado" deixariam de o defender.

Abdeslam esteve num tribunal, em Paris, pela última vez em setembro passado e recusou de novo a falar. Desde que foi transferido da Bélgica para França, já por duas vezes se tinha recusado a responder aos juízes.

Recorde-se que uma investigação da CNN, revelada em setembro, concluiu que a rede do Estado Islâmico responsável pelos atentados no Ocidente tinha preparado ataques ainda mais sangrentos em Paris, com mais terroristas e outros alvos para além dos que foram atingidos, bem como outras ações em países europeus.