Um sismo de magnitude 5,2 na escala de Richter sacudiu, na manhã desta quinta-feira, o departamento francês de Charente-Maritime, no sudoeste de França, perto de Bordéus.

Trata-se do mais forte terramoto no país desde abril de 2014, segundo a Rede Nacional de Monitoramento Sísmico (ReNaSS), e um dos maiores naquela região.

O terramoto fez-se sentir pelas 08:45 (hora local), com o epicentro a localizar-se entre Rochefort e La Rochelle, a cerca de 9 quilómetros desta última cidade, capital do departamento.

Testemunhas afirmam que, na sequência do terramoto, vários edifícios em La Rochelle sentiram o abalo, nomeadamente através da queda de objetos de prateleiras ou de pedaços de gesso dos tetos.

Não há ainda informações sobre danos materiais, mas os "bombeiros não foram chamados para qualquer ocorrência", de acordo com a autarquia local, em comunicado.

Em todo o caso, as autoridades estão no terreno a fazer o levantamento dos estragos.

Segundo um correspondente na zona da agência de notícias France Presse (AFP), que reside a 12 quilómetros do epicentro, foi sentido "uma vibração e depois algo como uma deflagração ou explosão". 

O abalo, segundo testemunhas, foi sentido num raio de 200 quilómetros.

O departamento francês de Charente-Maritime é conhecido pela sua atividade sísmica, que geralmente é mais próxima da ilha de Oléron, explicou uma sismóloga do ReNaSS ao Le Point.

«Magnitude 5 é já um sismo importante, não temos estes valores frequentemente, sai um pouco da normalidade", indicou, lembrando, por exemplo, um sismo de magnitude superior a 5 em 1972 e um de 4.5 em 2005.