Em Espanha, chegou ao fim a quarentena das pessoas que estiveram em contacto com Teresa Romero, a auxiliar de enfermagem infetada pelo ébola.

O primeiro a deixar o Hospital Carlos III foi o marido de Romero, que anunciou para esta tarde uma conferência de imprensa em Madrid.

Entre as 10 pessoas que estiveram 21 dias sob vigilância e não manifestaram sintomas, encontravam-se o médico que atendeu a auxiliar nas urgências do hospital de Alcorcón.

Os restantes eram três clínicos, quatro enfermeiras e um segurança do mesmo hospital. Teresa Romero continua internada apesar de já estar livre do vírus.

Um doente transportado na mesma ambulância fica também no hospital apesar dos exames ao ébola terem dado negativo.