O líder da oposição no Zimbabué Tendai Biti foi detido esta quarta-feira na fronteira com a Zâmbia, enquanto o seu partido contesta os resultados das eleições presidenciais no país, disse à agência de notícias francesa AFP o advogado do opositor.

Tendai Biti foi preso na fronteira com a Zâmbia", declarou Nqobizitha Millo, através de uma mensagem de telemóvel, acrescentando que o ex-ministro pretendia pedir asilo na vizinha Zâmbia.

Figura importante da oposição e ex-ministro das Finanças do Governo de Unidade Nacional (2009-2013), Tendai Biti é procurado pela justiça sob a acusação de incitar à violência, segundo o jornal pró-Governo The Chronicle.

Biti declarou antes do anúncio oficial dos resultados da comissão eleitoral que Nelson Chamisa, o candidato do seu partido, o Movimento para a Mudança Democrática (MDC), havia vencido a eleição “para além de qualquer dúvida razoável”.

A comissão eleitoral deu a vitória ao atual presidente, Emmerson Mnangagwa - ex-braço-direito do antigo chefe de Estado Robert Mugabe, que foi forçado a deixar o poder pelo exército em novembro depois de 37 anos no poder – com uma votação de 50,8%.

A repressão às manifestações de protesto contra os resultados das presidenciais de 30 de julho levou à morte de pelo menos seis pessoas.

A Human Rights Watch (HRW) denunciou, na terça-feira, que as forças de segurança do Zimbabué intensificaram a repressão aos apoiantes da oposição, após os protestos da semana passada contra a alegada manipulação dos resultados das eleições.