O furacão Florence, que atinge a costa sudeste dos Estados Unidos, perdeu intensidade para tempestade tropical, mas continua a ameaça de mais inundações.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões, a tempestade move-se lentamente para o estado vizinho da Carolina do Sul, deixando um rasto de chuvas fortes, inundações, ameaça de tornados e um apagão de eletricidade que já afetou cerca de um milhão de habitações.

Segundo a Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou o estado de desastre na Carolina do Norte, onde já morreram onze pessoas, e que disponibilizará ajuda financeira para os condados de Beaufort, Brunswick, Carteret, Craven, New Hanover, Onslow, Pamlico e Pender.

O número de vítimas mortais foi atualizado de cinco para 11, segundo as autoridades citadas pela agência Associated Press.

Com a subida da maré, as previsões são de inundações graves, com o governador do estado da Carolina do Norte, Roy Cooper, a alertar, neste sábado, que "zonas onde nunca se registaram inundações podem ter essa experiência agora".

"Apesar da tempestade ter perdido força, as chuvas continuarão a ser épicas", disse, citado pela imprensa local.

Na sexta-feira, Donald Trump anunciou que pretende visitar, na próxima semana, as zonas afetadas pelo Florence.

"Não há cidadãos portugueses" afetados

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas afirmou hoje que nenhum cidadão português sofreu prejuízos na passagem do furacão Florence, que está a atingir os Estados Unidos, e que o Governo está a acompanhar o alerta de "super tufão" em Macau.

O nosso gabinete consular está a acompanhar, mas para já, de acordo com as informações que temos, não há cidadãos portugueses que tenham sido objeto de quaisquer prejuízos causados por este tufão”, disse José Luís Carneiro, à margem iniciativa “Diálogos com as Comunidades: Leis eleitorais + Participação”, na Embaixada de Portugal em Bruxelas.

O Secretário de Estado explicou que nos Estados Unidos, “nomeadamente na Carolina do Norte, Carolina do Sul, Virgínia, e Geórgia”, há um conjunto de cidadãos portugueses que estão “organizados no sentido de se auxiliarem e de mutuamente se protegerem, nomeadamente na permuta de informações”.

O furacão Florence, que atingiu hoje de manhã a costa atlântica dos Estados Unidos, representará ainda uma “grande ameaça” nas próximas entre 24 e 36 horas, advertiu a Agência Federal das Situações de Emergência norte-americana (FEMA).

Acompanhado de chuvas diluvianas e ventos violentos, o Florence tocou terra no Estado da Carolina do Norte às 07:15 locais (12:15 de Lisboa) e já causou enormes inundações, encurralando os habitantes em casa.