Duzentas mil crianças ficaram feridas com quedas de televisores, nos últimos 20 anos, nos Estados Unidos, segundo revela um estudo divulgado pela «Pediatrics», a publicação online da Academia Americana de Pediatria, e levado a cabo por Gary Smith, pediatra e presidente de uma organização de prevenção de acidentes como crianças.

O número de acidentes com televisores têm aumentado, mas a maior parte não é considerada grave. Os investigadores avançam que a localização dos aparelhos, em casa, pode ser um dos motivos para que os acidentes aconteçam. Tal como o aumento do número de televisores.

A maioria das crianças vítimas deste tipo de acidentes está abaixo dos cinco anos e regista lesões na cabeça e pescoço maioritariamente, refere a BBC, que cita o estudo.

Os investigadores analisaram dados de incidentes com televisores entre 1990 e 2011. No último ano das observações, 12.300 crianças receberam tratamentos de emergência, contra 5.455 atendimentos registados em 1995.

O pediatra Gary Smith e a sua equipa consideram que o número de aparelhos pode não ser a única razão para o aumento de acidentes. A localização dos objetos e o facto de se terem tornado, ao longo do tempo, cada vez mais leves também fazem aumentar as probabilidades.