Aos 72 anos, Raymond MacCausland não traiu “a maneira como foi criado” e, ao encontrar uma elevada quantia de dinheiro no banco de trás do táxi, não teve dúvidas sobre que atitude tomar.

Durante mais uma corrida de táxi na cidade de Boston, nos Estados Unidos, Buzzy, como é conhecido o taxista, levou um cliente até à porta de um hotel. O homem pediu-lhe que aguardasse cinco minutos. Passaram-se cinco e outros cinco. Ao fim de meia-hora, Buzzy cansou-se de esperar e foi à receção perguntar pelo homem. Ninguém sabia quem era.

Resolveu, então, procurar na mochila que tinha ficado no táxi por um documento de identificação. Não encontrou. Mas descobriu 187.000 dólares, qualquer coisa como 170.000 euros.

O que faria com 170.000 euros?

Para um taxista, já na idade da reforma, esse dinheiro talvez representasse uma férias de sonho muito prolongadas, mas esses pensamento não passou pela cabeça de Buzzy. O taxista entregou o dinheiro à polícia.

As autoridades louvaram a atitude do taxista, que deve servir como exemplo. O dinheiro, segundo a CNN, era fruto de uma herança e a polícia conseguiu devolvê-lo ao legítimo proprietário.

Os agentes perguntaram ao homem se queria recompensar Raymond MacCausland. O taxista recebeu uma nota de 100 dólares – 90 euros – por ter devolvido os vários milhares.