publicado esta quarta-feira na revista médica The Lancet


«Os resultados mostram que, em alguns países, o cancro é muito mais letal do que noutros. No século XXI, não deveria existir um abismo tão dramático na sobrevivência», declarou a epidemióloga italiana Claudia Allemani, professora da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres e autora principal do estudo, ao jornal El País.