O Egito impediu este domingo a entrada no país da Prémio Nobel da Paz e ativista iemenita Tawakul Karman.

Apesar de não ter sido apresentada as razões por detrás desta proibição, a agência estatal de notícias Mena sublinhou que «vale a pena notar» que a nobilizada anunciou solidariedade para com os apoiantes do presidente deposto Mohamed Morsi na sua conta do Twitter.

Um porta-voz da Irmandade Muçulmana, partido de Morsi, disse que Karman recentemente apoiou as manifestações no Cairo, exigindo o regresso do presidente deposto ao poder.

Tawakul Karman foi obrigada a regressar no mesmo avião de regresso ao Iémen.