Uma comissão de inquérito criada pelo Governo de transição da Guiné-Bissau tem até quarta-feira para esclarecer o incidente que levou à suspensão dos voos da TAP entre Lisboa e a capital guineense, disse esta sexta-feira fonte governamental à agência Lusa.

A comissão foi criada por despacho do primeiro-ministro de transição, Rui de Barros, e é composta por três elementos: o ministro da Justiça, Saido Baldé (que preside à comissão), um representante do Ministério dos Transportes e outro do gabinete do chefe de Governo.

De fora ficaram representantes dos ministérios do Interior (que tutela a segurança) e dos Negócios Estrangeiros, «por se considerar que já estão implicados no processo», explicou Saido Baldé à agência Lusa.

De acordo com aquele governante, «a comissão reuniu-se hoje pela primeira vez» e, de acordo com o despacho, deverá produzir resultados «no prazo de 48 horas, a contar a partir de segunda-feira», ou seja, até quarta, dia 18.

A tripulação do voo Bissau-Lisboa de terça-feira foi obrigada por autoridades guineenses a descolar com 74 passageiros portadores de passaportes falsos, mesmo depois de detetado o problema, o que levou a companhia a suspender os voos entre os dois países.

A situação levou esta sexta-feira ao pedido de demissão do ministro dos Negócios Estrangeiros, Delfim da Silva, que responsabiliza «gente ligada à imigração e segurança».

«Há cumplicidades», sublinhou à agência Lusa, depois de na quinta-feira ter considerado o caso como um incidente lamentável que não interessa à Guiné-Bissau.

«Para aquela gente passar aqui uns dias e depois ir para Lisboa como foi é porque houve cumplicidade entre pessoas que tinham a obrigação de proteger o país e não protegeram», referiu Delfim da Silva.

A agência Lusa contactou o ministro do Interior, Suka N'Tchama, mas este escusou-se a falar sobre o assunto, remetendo quaisquer declarações para o porta-voz do Governo de transição, o ministro de Estado Fernando Vaz.

Vaz mantém a mesma posição expressa à Lusa na quarta-feira: «o Governo vai aguardar pela conclusão das averiguações» para depois se «posicionar».

TAP volta a assegurar no sábado e na segunda-feira ligação a Bissau através do Senegal

No sábado à noite, a TAP realizará o primeiro voo especial para Bissau desde a suspensão da operação para aquele país.

A TAP vai assegurar também na segunda-feira à noite um novo voo especial para Bissau, através do Senegal, disse à Lusa fonte oficial da transportadora.

A TAP vai voar «Lisboa/Dakar e Dakar/Bissau».