Tamsanqa Jantjie, o intérprete de linguagem gestual da homenagem a Nelson Mandela, que não tinha quaisquer qualificações para o trabalho, disse que ele é a «grande fraude» porque expôs «o que está a acontecer» na África do Sul.

«Eles chamam-me farsa, mas eu sou a grande farsa, porque mostrei o que está acontecer com o governo e o sistema», disse Jantjie num vídeo captado por um grupo de jovens não identificados.

Nas imagens é possível ver a palavra «Sterkfonteint» na t-shirt de Jantjie, o nome do hospital psiquiátrico onde foi reintegrado após o incidente do funeral de Mandela.

Tamsanga afirma que expôs a realidade do país e que se considera um defensor das pessoas com deficiência. «Estou aqui hoje e as nossas pessoas lá fora estão sem cadeiras-de-rodas. Ninguém estava numa cadeira-de-rodas naquele estádio enquanto eu traduzia, depois dizes que estou errado? O que é correto se eu estava errado?», pergunta o falso intérprete.

Recorde-se que Tamsanga Jantjie admitiu que sofria de esquizofrenia e que sofreu um surto durante o funeral de Nelson Mandela, onde simulou a tradução para língua gestual do que estava a ser dito na cerimónia.

A sua presença no palco está a ser bastante contestada, principalmente ao nível da segurança uma vez que se tratava de uma pessoa que não deveria participar das celebrações e esteve a centímetros de pessoas como o presidente dos EUA Barack Obama.