“Estas irmãs não confiam em ninguém. Elas não confiam em governos, não confiam em corporações e não confiam na polícia local. Em alguns casos, não podem sequer confiar no próprio clero masculino”.


Reuters

“Eu não estou a tentar ser sensacionalista, estou apenas a sublinhar o facto de que este é um mundo que perdeu a inocência ... onde as forças das trevas estão vivas. Estes são problemas causados pela pobreza e falta de igualdade, mas vão muito além disso”, disse, em entrevista à agência.


Para salvar as crianças, as freiras “compram-nas” e dão-lhes abrigo. O grupo angariou fundos e conseguiu abrir casas de acolhimento no Brasil, Índia, em vários países da África e na Filipinas.