Os Estados Unidos rejeitaram no sábado que o seu ataque com drone que causou a morte ao líder dos talibãs paquistaneses Hakimullah Mehsud tenha afetado negativamente os esforços do Paquistão para negociações de paz com os talibãs.

Um responsável do Departamento de Estado norte-americano, citado pela agência AFP, recusou-se a confirmar que Mehsud foi morto na sexta-feira, insistindo que o Paquistão e os Estados Unidos «partilham um interesse estratégico em acabar com a violência extremista».

«Mantemos o diálogo com o Paquistão em relação a todos os aspetos da relação e dos nossos interesses comuns, incluindo a cooperação em matéria de segurança e contraterrorismo, e trabalhamos em conjunto para enfrentar as preocupações de ambos», disse.

Talibãs paquistaneses procuram novo líder

O conselho central dos talibãs paquistaneses reuniu-se no sábado para escolher um sucessor do chefe do movimento Hakimullah Mehsud, morto na sexta-feira, informou a agência AFP.

Vários nomes já foram evocados, como Qari Walayat Mehsud, um primo de Hakimullah, Asmatullah Shaheen, chefe do conselho central dos talibãs, Khan Said «Sajna», atual número dois da rebelião, e Mollah Fazlullah, comandante que assumiu o controlo do vale do Swat com os seus homens entre 2007 e 2009.

«O conselho central ouve as opiniões de todos os seus membros e comandantes, a escolha poderá levar tempo, uma vez que os membros do conselho central mudam a reunião constantemente de lugar» com receio de outro ataque de drone, disse um membro dos talibãs à AFP.