Os inspetores sanitários encontraram fezes de ratos, cadáveres de animais e carne fora do prazo no talho em Londres do famoso chefe de cozinha Jamie Oliver. O talho «Barbecoa», que Jamie Oliver abriu debaixo do restaurante com o mesmo nome, na capital do Reino Unido, foi forçado a fechar portas.

De acordo com o relatório obtido pelo jornal «The Times» e citado no resto da imprensa britânica, um grupo de inspetores da saúde pública rotulou o estabelecimento de «perigoso». Isto depois de se terem deparado com uma «forte presença» de fezes de ratos, carcaças de animais bolorentas e carne estragada. Instrumentos de trabalho, como facas, sacos de conservação e frigoríficos, transpareciam também alguma sujidade.

O talho fornecia as carnes ao restaurante «Barbecoa», no piso superior, que Jamie Oliver abriu em 2010 em parceria com o chefe de cozinha norte-americano Adam Perry Lang.

Esta não é a primeira vez que o estabelecimento é relacionado com problemas sanitários. No início de 2014, após uma inspeção que detetou bolor nos produtos, a loja chegou a encerrar temporariamente de forma voluntária.

«Na sequência da inspeção de saúde feita em janeiro, tomámos a decisão imediata de voluntariamente fechar o talho durante várias horas para resolver urgentemente os problemas indicados», explicou, na altura, à imprensa, um representante de Jamie Oliver.

«Reabrimos passadas 24 horas e os oficiais notaram que foram feitos desenvolvimentos. Problemas como este são extremamente raros no grupo de restaurantes do Jamie Oliver e são tratados com a máxima severidade», sublinhou o mesmo representante.

Chefe de cozinha e personalidade televisiva do Reino Unido, Jamie Oliver é conhecido pelo uso de alimentos naturais e orgânicos e pelo trabalho recente em mudar hábitos alimentares nas escolas britânicas. A reforma do sistema da merenda escolar, anteriormente baseada em alimentos industrializados e fast-food, foi polémica e trouxe-lhe notoriedade e respeito.