Um grupo de arqueólogos descobriu, em Taiwan, o cadáver de uma mãe com um bebé. O fóssil com milhares de anos trouxe ainda uma outra revelação. 

Os especialistas ficaram, “chocados” com um pormenor.

“Quando o esqueleto foi desenterrado, todos os arqueólogos ficaram chocados. Porquê? Porque a mãe estava a olhar para baixo, para o bebé que tinha nos braços”, segundo as palavras do responsável pelo Departamento de Antropologia do Museu de Ciências Naturais de Taiwan, Chu Whei-lee, em declarações à Reuters.

 

Mãe e filho com 4.800 anos (Foto Reuters)

O fóssil, revelado na terça-feira, tem 4.800 anos, uma data apurada após testes. Ao todo foram descobertos restos mortais em 48 campas na região de Taichung e que constituem o mais antigo sinal da existência da civilização em Taiwan.