As autoridades de Taiwan revelaram que subiu para catorze o número de mortos causados pelo sismo que este sábado atingiu a cidade de Tainan, numa altura em que prosseguem os trabalhos para resgatar as pessoas que continuam presas nos escombros de prédios que desmoronaram.

Duas das vítimas mortais perderam a vida devido à queda de escombros dos prédios afetados.

Até agora, mais de 300 pessoas foram retiradas dos escombros e 58 ficaram feridas, segundo as informações do Serviço nacional de Emergências.

Entre os mortos, está um bebé de dez dias.

O sismo foi registado às 20:00 de Lisboa, a 43 quilómetros de Tainan, uma cidade com cerca de dois milhões de habitantes, que é a mais afetada. 

De acordo com a USGS, o terramoto foi muito superficial, com uma profundidade de apenas 10 quilómetros, o que amplificou o abalo e, consequentemente, os efeitos.

Taiwan está próxima de duas placas tectónicas e é atingida com regularidade por abalos sísmicos. 

Em junho de 2013, um abalo com magnitude 6,3 atingiu o centro da ilha e provocou quatro mortes e deslizes de terra generalizados. Em setembro de 1999 um abalo de magnitude 7,6 provocou cerca de 2.400 mortos.

 

                

 

Os governos da China e do Japão já ofereceram ajuda a Taiwan. O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, enviou hoje "profundas condolências" a Taiwan e o Governo de Pequim ofereceu ajuda à ilha para as operações de resgate, noticiou a agência oficial Xinhua.