A antiga primeira-ministra da Tailândia, Yingluck Shinawatra, vai ser acusada de corrupção, um crime punível com dez anos de prisão, anunciou esta sexta-feira o Ministério Público. Na sequência disso, o parlamento do país votou a favor do seu afastamento da política, durante cinco anos. 

«O Ministério Público estudou os testemunhos e as provas apresentadas pela Comissão anticorrupção e estamos de acordo sobre o facto de que o processo permite acusar Yingluck», disse o procurador Surasak Threerattrakul aos jornalistas, citado pela Lusa.

Yingluck Shinawatra, que dirigiu o governo tailandês até ser destituída pelo Tribunal Constitucional no início de maio do ano passado, chegou a estar detida depois do golpe militar de 2014.

No parlamento tailandês, 190 membros votaram a votar da proibição de Yingluck Shinawatra exercer funções políticas durante cinco anos, enquanto 18 deputados votaram contra e oito abstiveram-se.