O editor de um portal de notícias online tailandês, Thai E-News, foi condenado esta segunda-feira a quatro anos e meio de prisão por violar a lei de lesa-majestade. 

De acordo com os meios de comunicação social locais, a violação consta num artigo publicado em 2009, da autoria de um académico tailandês antimonárquico, Giles Ji Ungpakorn, que entretanto se refugiou no Reino Unido, no qual foram formuladas críticas à casa real da Tailândia.
O acusado, Nut Rungwong, recebeu inicialmente a sentença de nove anos de prisão, mas viu a sua pena ser reduzida a metade, após se declarar culpado da acusação.

No Código Penal tailandês está prevista a condenação de «insultos, difamações ou ameaças» contra o rei, a rainha, o príncipe herdeiro ou o regente, podendo os criminosos ser punidos com 15 anos de prisão.

A família real é um assunto sensível na política tailandesa, uma vez o que o rei, Bhumibol Adulyadej, de 86 anos apresenta condições de saúde instáveis, e que ainda este ano, a 22 de maio de 2014, ocorreu um golpe de Estado, com as Forças Armadas Reais da Tailândia, lideradas pelo general Prayuth Chan-ocha, a revoltaram-se contra o governo interino do primeiro-ministro Niwatthamrong Boonsongpaisan.