A Human Rights Watch (HRW) pediu esta sexta-feira aos deputados do parlamento tailandês que rejeitem uma proposta de lei que pretende dar mais poderes aos militares para deter civis sem acusação até quase três meses.

A revisão à lei dos tribunais militares, que será submetida a votação de um parlamento, escolhido a dedo pela junta militar, no final do mês, permitirá a detenção sem acusação durante 84 dias sem supervisão judicial.

«O Governo da Tailândia está a tentar dar carta-branca aos militares para deter civis», disse em comunicado o diretor para a Ásia da HRW, Brad Adams.

A junta militar aprovou, depois o golpe de maio, a substituição dos tribunais civis por militares para julgar os delitos do código penal, incluindo os de lesa-majestade e sedição, e os cidadãos que desobedecem às ordens das autoridades.

A declaração da lei marcial permitiu aos militares deter, desde então, centenas de civis que não têm acesso a advogados nem direito de receber visitas de familiares.