O Governo tailandês liderado por Yingluck Shinawatra superou esta quinta-feira no Parlamento a moção de censura apresentada pelo Partido Democrata, apesar de milhares de pessoas continuarem o protesto contra o Executivo nas ruas da capital e noutras províncias do país.

Yingluck Shinawatra, irmã do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, deposto por um golpe militar em 2006, sobreviveu à moção de censura devido à ampla maioria que o seu partido tem no congresso, recolhendo 297 votos a seu favor contra 134 votos que apoiavam a sua saída da liderança do Governo.

Ao mesmo tempo que decorria a votação, milhares de pessoas continuavam o protesto contra Yingluck que acusam de representante do irmão Thaksin, refugiado no exterior depois de ter sido julgado e condenado por corrupção.



Manifestantes continuavam esta quarta-feira a ocupar vários Ministérios em Banguecoque, Tailândia, com o objetivo de derrubar o executivo liderado por Yingluck Shinawatra.

O líder dos protestos e antigo vice-primeiro-ministro Suthep Thaugsuban, sobre o qual existe uma ordem de detenção, instou os seus seguidores à ocupação de todos os Ministérios e Câmaras Municipais do país.

A Tailândia viveu manifestações antigovernamentais nos últimos dias.