Um tribunal da Florida condenou a RJ Reynolds Tobacco Company a pagar 23,6 mil milhões de dólares à viúva de um fumador que morreu de cancro do pulmão, anunciou no sábado o advogado de defesa.

«Nós esperamos que este veredito constitua uma mensagem para a RJ Reynolds e as outras grandes tabaqueiras para que parem de pôr em causa a vida de pessoas inocentes», disse em comunicado Wille Gary, advogado Cynthia Robinson.

O veredito é considerado como uma das indemnizações mais elevadas na história da Florida, que equivale a 17,5 mil milhões de euros.

Entretanto, a a RJ Reynolds Tobacco fez saber que vai recorrer da condenação, avança a imprensa local.

A indemnização decidida pelos tribunais é «gravemente excessiva e inadmissível, [tendo em conta] as leis estatais e internacionais», diz o vice-presidente da empresa, J.Jeffery Raborn, em comunicado citado pela imprensa local.

O veredito do tribunal impôs à companhia o pagamento de 23,6 mil milhões de dólares (cerca de 17,5 mil milhões de euros) por «danos provocados», um dos valores mais elevados a pagar por uma empresa.

O veredito «é completamente inconsistente com as provas apresentadas», segundo o vice-presidente da RJ Reynolds Tobacco, que anunciou a intenção de recorrer já que os responsáveis da empresa estão confiantes em que «se cumprirá a lei».

Em 2006, o Tribunal Supremo da Florida rejeitou um pedido coletivo respeitante a 145 mil milhões de dólares e referiu na sentença que os fumadores e as suas famílias necessitavam de demonstrar a sua adição e que o consumo de tabaco causou a doença ou a morte.